Ghelfond Diagnósticos
Agendamento de Exames

No mês de Março é comemorado o Dia Internacional da Mulher, por esta razão, resolvemos listar abaixo alguns exames femininos importantes para a prevenção e manutenção da saúde da mulher, e você pode realizar todos eles nas Unidades Ghelfond. Lembre-se: Os Exames de Laboratório são complementares aos exames ginecológicos realizados em consultas e devem ser sempre solicitados pelo próprio médico.

MAMOGRAFIA: Método recomendado para o diagnóstico do câncer de mama, muito antes deste ser palpável. Detecta microcalcificações que podem indicar a fase inicial de um cancro. É indicado para mulheres a partir de 40 anos.

DENSITOMETRIA ÓSSEA: Exame de radiologia, que mede com precisão a densidade dos ossos. O resultado é comparado com padrões de idade e sexo. É indispensável para o diagnóstico e acompanhamento de osteoporose. Osteoporose é uma doença caracterizada por baixa massa óssea e deteorização da micro-arquitetura do tecido ósseo.

ULTRASSONOGRAFIA: A ultrassonografia endovaginal emiti ondas sonoras para avaliar a parte interior do organismo da mulher. O exame ginecológico ou pélvico é realizado através da bexiga e do abdômen da paciente. Já a Ultrassonografia obstétrica é realizada em pacientes gestantes.

No Brasil, a principal estratégia utilizada para o rastreamento do câncer do colo do útero é a realização da coleta de material para exames citopatológicos cervico-vaginal e microflora, conhecido popularmente como Papanicolau, associado ao Ultrassom Transvaginal – exame que permite a visualização do útero, ovário e trompas.

A efetividade da detecção precoce associado ao tratamento em seus estágios iniciais tem resultado em uma redução das taxas de incidência de câncer invasor que pode chegar a 90%.

O exame deve ser realizado em mulheres de 25 a 60 anos de idade, uma vez por ano.

O exame de ultrassom transvaginal também deve ser feito anualmente.

Resultados de Exames

Pare e pense em uma mulher bem-sucedida. Ela deve ter um emprego bacana, um corpo incrível e um relacionamento de dar inveja até a Beyoncé.

É inevitável: a gente se inspira em pessoas que aparentam vir com o tal pacote completo – emocional, profissional, físico. A maioria das que vemos brilhar por aí parece ter “chegado lá” seguindo um checklist predeterminado. Mas a verdade é que o sucesso é definido mais pelo que você escolhe abrir mão do que pelo que você tem. Mesmo essas mulheres inspiradoras precisaram perder em algumas coisas para ganhar em outras.

E estão se agarrando a versões atualizadas do que significa ser bem-sucedida. Se antes era sinônimo de viver ocupada e ganhar um salário alto, agora envolve conquistas intangíveis, como um casamento feliz, o luxo de poder tirar um dia de folga às vezes e, principalmente, estar satisfeita com a forma que sua vida está no presente, sem deixar o peso do futuro apagar suas conquistas – até porque sucesso hoje não garante sucesso amanhã.

Pode respirar aliviada: essa nova tendência tira das nossas costas a responsabilidade falsa de ser exemplar em todas as áreas da vida. Ou seja, dá para escolher as prioridades com mais tranquilidade e sentir orgulho de nós mesmas.

A GRANDE VIRADA

Fomos condicionadas a acreditar que ser bem-sucedida dependia exclusivamente do nosso mérito: “Se você se esforçar, vai chegar lá”. Mas esse “lá” ficava tão distante que causava frustração: poxa, se só depende de mim e não consigo me sentir realizada, sou fracassada? Esqueça. “Estamos finalmente aprendendo que sucesso é uma questão de ponto de vista. Cada um dá a definição que quiser”, diz a terapeuta Ligia Mass, do Rio de Janeiro.

Segundo a pesquisa Life Twist (algo como Virada na Vida), da American Express, a exigência do pacote completo ficou para trás. E quem consegue se desvencilhar do pré-requisito reconhecimento + dinheiro + beleza é chamado de life twisters, pessoas mais confortáveis e seguras com suas escolhas (muitas vezes mais simples). Mas não é fácil. Afinal, estamos programadas a correr atrás de modelos que, às vezes, não têm nada a ver com a gente, principalmente no trabalho. E é só olhar ao redor para encontrar pessoas que lutaram tanto para conquistar o que achavam que precisavam e, no fim, não ficaram satisfeitas.

Ou seja: dificilmente você vai se sentir realizada só porque mata um leão por dia – fora que vai estar cansada demais para comemorar. Na verdade, pequenas vitórias cotidianas devem contar como sucesso: conseguir pagar uma viagem, terminar um livro, receber um elogio de quem você admira. E também se permitir tomar novos caminhos, como mudar o rumo de uma relação ou uma carreira que já não a satisfaz. Afinal, se somos tão diferentes, é natural que a definição e o peso do que é ser bem-sucedida também sejam muito pessoais.

NA MEDIDA

Talvez você não tenha o corpo, o marido ou a veia empreendedora de Fernanda Lima. Mas isso não quer dizer que o que é sucesso para ela funcionaria para você. Muitas vezes, o que a gente define como ideal está longe do que nos completaria. Ok, seu salário não é alto e ainda falta perder alguns quilos até o verão. Mas a boa notícia é que o sucesso não está lá na frente, quando você for chefe ou emagrecer. Aliás, sucesso não é um lugar a que você chega com a cadeira de praia, abre o guarda-sol e curte sem nunca mais se preocupar – está na satisfação que você sente com o que faz agora. E você tem sucesso todos os dias em diferentes desafios. É só prestar atenção. “Reduzir expectativas não significa diminuir seus sonhos, mas reconhecer seus limites”, diz Ligia.

Temos que encarar a realidade: o que dá e o que não dá para você alcançar? Não dá, por exemplo, para achar que só vai ser feliz quando tiver uma relação sem DRs. Ou continuar sonhando em ser apresentadora de TV se for tímida. “Para alinhar expectativa e realidade, é preciso conhecer seus potenciais e medos”, diz a psicóloga Sirley Bittu, de São Paulo. E ver graça no caminho que tem pela frente.

EXERCÍCIO RÁPIDO

como seria um dia em que você se sentisse 100% realizada? Você pode se surpreender com a simplicidade! Dar passos do tamanho da sua perna rende uma maturidade emocional que vai ajudá-la a ficar mais segura em relação às próprias escolhas. Você vai aprender a valorizar e trabalhar suas qualidades, sem tanta cobrança. Não se trata de desistir da ideia de sucesso. Mas de insistir na construção da ideia do que ele significa para você. A vida está ou não prestes a ficar bem mais gostosa?

fonte: cosmopolitan.abril.com.br

Muitas vezes, os sintomas do câncer de ovário podem ser confundidos com outros problemas menos graves, tais como as doenças gastrintestinais. Atualmente, os peritos acreditam que a frequência e a combinação dos sintomas podem ajudar os médicos a diferenciar entre o câncer de ovário e outros problemas. Se a mulher sentir um, ou mais, dos sintomas seguintes na maioria dos dias e por um período de três semanas, deverá discutir as preocupações com o seu médico:

• Aumento do volume abdominal / inchaço contínuo (não é o inchaço casual)
• Dificuldade de comer / sensação de plenitude
• Dor abdominal ou pélvica
• Necessidade urgente e frequente de urinar

É muito provável que as mulheres com câncer de ovário tenham com frequência um ou mais dos sintomas acima mencionados. Também podem ocorrer outros sintomas, como por exemplo: mudança nos hábitos intestinais, sangramento vaginal anormal, cansaço e perda ou aumento inesperado de peso (neste caso, em redor do abdômen). Todavia, tais sintomas são menos úteis quando o médico está tentando determinar se a causa deve-se, ou não, ao câncer de ovário.

PREVENÇÃO

Existem duas opções para reduzir o risco desta doença:

• Pílula anticoncepcional: Tem sido demonstrado que os contraceptivos orais reduzem o risco de câncer de ovário entre 30% e 60%. • Poderá ser considerada a cirurgia preventiva para remover os ovários e as trompas de Falópio, se os testes genéticos indicarem um aumento do risco do câncer de ovário.

DIAGNÓSTICO:

Atualmente, não existe nenhum exame de detecção fidedigno para o câncer de ovário. Se você tem sinais ou sintomas do câncer de ovário, seu médico deverá efetuar ou encaminhá-la para fazer os seguintes exames:

• Exame pélvico completo
• Ultrassom pélvico ou transvaginal
• Exame de sangue CA-125

Tais exames são mais eficazes quando são usados no seu conjunto. Como parte do processo de diagnóstico, os médicos também poderão efetuar uma tomografia por emissão de pósitrons ou uma tomografia computadorizada. Todavia, a biopsia é a única maneira definitiva de diagnosticar o câncer de ovário.

fonte: mulherconcsciente.com.br




Saiba porque para nós -
VIVER É O MELHOR RESULTADO

Assista nosso vídeo institucional e descubra